Pesquisar este blog

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Tempo cruento...


Tempo cruento
Que banaliza vidas
No DESERTO da alma
Uma FLOR murcha
Na intolerância dos homens

A revolta não se cala
Sobrevive uma esperança!
(para Waris Dirie)