Pesquisar este blog

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Minha inquietude...

Minha inquietude em ler-te devora todos os pensamentos. Folheio a tua alma tentando entender o teu significado. Há uma página em branco. Pálida! Temo em continuar... Apago todas as marcas. Reescrevo tudo sem ponto final...