Pesquisar este blog

sábado, 23 de outubro de 2010

Silenciosamente...

Silenciosamente a paisagem emudece. Há gritos em fuga e o sol arde na ânsia de queimar... As brisas apagam o tempo. Deserto de almas. A tarde anoitece silenciosamente.