Pesquisar este blog

sábado, 8 de setembro de 2012

O banco da praça vazio...


O banco da praça vazio
Em esperas...

Há demoras tão urgentes
E um diálogo
Tão noturno inebria
Preenchendo brisas...

Silenciosamente!